top of page

Tudo que que precisa de saber para ser
motorista TVDE

Atualizado a 17/03/2024

A atividade de motorista de TVDE (vulgo, motorista Uber),  pode ser desempenhada quer numa perspectiva de uma profissão a tempo inteiro, quer na perpectiva de part-time de forma a complemantar o rendimento de outra atividade. As formas mais eficientes de desempenhar uma ou outra não são as mesmas, mas o profissionalismo com é desempenhada, deve sempre existir. Leia este artigo para conhecer tudo aquilo que necessita para poder tornar-se um profissional de TVDE.

 

Desde a entrada da Uber em Portugal em 2014, o setor sofreu muitas alterações. O evento mais impactante foi a entrada em vigor da Lei nº. 45/2018,  que passou a regular a atividade TVDE. Ao longo dos anos, as alterações ao setor foram originadas por legislação, por alteração de regras por parte das plataformas, por fluxos de imigração e ainda, pela pandemia. Como exemplo, somente no espaço do ano de 2023 entraram em vigor dois diplomas legais que influenciaram o setor TVDE. Calcula-se, por isso, que o setor está ainda longe de estar estabilizado.

Aqueles que pretendem entrar no setor TVDE, sejam motoristas sejam operadores de frota, devem, por isso, conhecer bem o seu funcionamento prático e legal, de forma a tomarem as melhores decisões. 

Neste artigo vamos dar ênfase ao funcionamento da atividade TVDE na perspetiva do motorista.

Como trabalhar na Uber e na bolt

Na RAU drive, pode conduzir o seu carro,
ou pode conduzir um carro só seu.

Perceba as relações entre os vários intervenientes

Os termos do setor TVDE que necessita de conhecer:

 

TVDE:

Significa ‘Transporte em veículo descaracterizado a partir de plataforma eletrónica’.

 

Plataforma eletrónica:

É uma empresa que atua como intermediário entre os passageiros e os motoristas. São exemplos de Plataformas Eletrónicas a Uber e a Bolt.

Operador de TVDE:

Empresa que cumpre os requisitos legais para fornecer viagens TVDE aos passageiros (Utilizadores de Plataforma Eletrónica). É o Operador TVDE a entidade que explora comercialmente os veículos TVDE, que contrata Motoristas para os conduzir e que presta o serviço do transporte, ou seja, o Operador é a entidade que emite a fatura da viagem ao passageiro. É também a entidade responsável pela legalidade da operação. A RAU drive, é um exemplo de uma empresa Operadora TVDE, entre  outras. Os Operadores TVDE, também são chamados de Operadores de Frota, ou ainda de 'parceiros', na gíria dos motoristas.

Motorista de TVDE:

Motorista, é aquele que conduz o veículo. Tem de possuir o CMTVDE do IMT, e tem uma conta sua junto das nas plataformas em plataformas eletrónicas: a conta de motorista. A conta de motorista é independente da conta do Operador TVDE.

CMTVDE:

O Certificado de Motorista de TVDE, é emitido pelo IMT e custa 30€. Obriga a várias condições, entre as quais ter efetuado o curso de motorista TVDE numa escola certificada. O curso é de 50 horas e custa em média 190€.

Utilizador de Plataforma Eletrónica:

É o passageiro que pede a viagem. Só o pode fazer exclisivamente através da Plataforma Eletrónica.

Slot:

É uma posição ou autorização existente na conta do Operador TVDE para a listagem com ativação, de um veículo, numa Plataforma Eletrónica. Por exemplo, a partir de 01.01.2026, os Slots na Uber para veículos a combustão vão estar limitados ao númento daqueles existentes a dezembro de 2022.

Como funciona o sistema de plataformas eletrónicas em Portugal, sejam Uber, Bolt ou outras:

Há vários intervenientes no sistema que em conjunto produzem o serviço da viagem TVDE:

  • Plataformas Eletrónicas,

  • Operadores TVDE (ou 'parceiros'), 

  • Motoristas,

  • Utilizadores (passageiros)

Todos eles podem ser independentes uns dos outros e normalmente assim acontece. A coordenação dos papeis destas várias entidades resulta no serviço remunerado de transporte de passageiros com reserva eletrónica.

Explicando um pouco mais, em detalhe:

As Plataformas Eletrónicas TVDE Uber e Bolt:

Estas ligam os vários intervenientes: Operadores, Motoristas e Passageiros. Fazem a gestão das viagens e dos recebimentos. Estas são o interlocutor com o passageiro. O passageiro interage com as plataformas sempre à distância, exclusivamente por via digital, seja pela aplicação móvel, seja por portal on-line. São as Plataformas quem faz a cobrança da viagem ao passageiro e que posteriormente a paga ao Operador. O passageiro efetua os pagamentos sempre por via digital, não há manuseamento de dinheiro vivo. As Plataformas Eletrónicas TVDE efetuam os pagamentos semanalmente.

O Operador TVDE:

É obrigatoriamente uma empresa: uma pessoa coletiva. É o Operador TVDE vulgo, ‘parceiro’, quem presta o serviço de transporte ao passageiro. Desta forma, é o operador quem emite a fatura da viagem ao passageiro, quem detém a responsabilidade da prestação do serviço do transporte e é o responsável pela legalidade do mesmo. O Operador TVDE, tem a sua conta individual junto de cada Plataforma Eletrónica. À conta de Operador, estão agregadas as contas dos Motoristas que trabalham para este Operador e que conduzem os veículos explorados por este. Também é na conta do Operador que estão lançados e geridos os veículos da sua frota. O Operador TVDE recebe o pagamento das viagens por intermédio das Plataformas Eletrónicas. O Operador TVDE pode ter um, ou vários Motoristas. O Motorista pode ser o proprietário da empresa. É no Operador TVDE que reside a responsabilidade em caso de sinistros com passageiros, que possam ocorrer durante a prestação do  serviço de transporte. O operador de TVDE tem de deter licença própria, emitida pelo IMT.

O Motorista TVDE:

O motorista é a pessoa que conduz o veículo explorado pelo Operador TVDE, ou ‘parceiro’. O motorista tem uma conta na plataforma. Trata-se de uma conta pessoal, independente da conta do operador. Isto quer dizer, um motorista pode transitar entre operadores de TVDE, mantendo sempre a sua conta e associando-a ao Operador do seu inereresse. Contrato: É obrigatória a existência de um contrato de trabalho reduzido a escrito entre o motorista e o Operador. Este contrato pode ser de ‘prestação de serviços’ ou ‘contrato de trabalho sem temo’. É importante fazer notar, que para a ACT, independentemente do que esteja mencionado no contrato, é a forma efetiva como a relação de trabalho é desempenhada que determina o tipo de relação laboral. O motorista pode ser o único funcionário do Operador de TVDE, quando este é o proprietário da empresa Operadora. AT - Recibos Verdes: Nas situações em que o motorista é um Prestador de Serviços, este tem de emitir recibos relativos às suas remunerações. Nestes casos, o motorista tem de ter a atividade aberta na AT como trabalhador independente. A atividade correta para a função de motorista é ‘Outros Prestadores de Serviços’.

O Passageiro:

Este efetua o pedido da viagem exclusivamente através de plataforma eletrónica. Efetua o pagamento sempre à Plataforma Eletrónica e nunca em numerário ao Motorista. O passageiro efetua a classificação do Motorista a cada viagem. Adicionalmente, no caso de ficar gravemente desagradado com algum especto da mesma, o Passageiro, pode ainda enviar 'relatórios’ do sucedido para a Plataforma Eletrónica. Estes relatórios afetam a classificação do Motorista e podem levar a que este seja banido definitivamente das Plataformas.

Se tem menos de 1.500 viagens, isto é para si!

Todos os profissionais começaram do zero.

É importante conhecer rapidamente o meio de trabalho e identificar os aspectos chave do sucesso.

Se está a inciar no TVDE, temos a melhor solução para si:

Programa de Treino para Motoristas Iniciados TVDE:

"Como Faturar omo um PRO"

  • desenhado à medida,

  • por profissionais de alto rendimento

Especial Motoristas Iniciados

como ser motorista Uber ou Bolt

Então o que é necessário para ser motorista de TVDE?

Com a promulgação da Lei n.º 45/2018 a atividade passou a ser regulada e a exigir vários requisitos.

 

Requisitos necessários para ser motorista de TVDE:

  • Ser titular de carta de condução há mais de 3 anos para a categoria B.

  • Ter o averbamento no grupo 2, na sua carta de condução.

  • Ser considerado idóneo. Ou seja, não ter condenações pela prática de crimes, como os que atentem à integridade física ou os de condução perigosa em estado de embriaguez, entre outros. O documento necessário para atestar a idoneadade é o Certificado Registo Criminal. Pode obter seu o Registo Criminal aqui.

  •  Obter o certificado do curso de formação de motoristas TVDE (curso com carga horária de 50 horas)

 ​

Depois de reunir os requisitos anteriores, deve

  • Rrequerer, junto do IMT, o CMTVDE (Certificado de Motorista de TVDE).

Links úteis:

Como criar Conta de Motorista TVDE nas Plataformas Uber e Bolt

Tendo reunidos e digitalizados os documentos atrás mencionados, está pronto para criar as suas contas nas Plataformas Eletrónicas Uber e Bolt.

Siga os passos referidos nos manuais disponíveis nos seguintes links:

Conduza com o seu veículo

Aluguer de slot TVDE e gestão documental

Conduza TVDE com o seu veículo ou o de um familiar. Disponibilizamos slots Uber e Bolt. Basta associar-se à conta de Operador TVDE da RAU drive. 

  • Efetuamos toda a gestão documental e ativação do veículo

  • Garantimos a conformidade legal da atividade

  • Experiência de 6+ anos em TVDE

Por o meu carro na Uber.

Modalidades de trabalho como TVDE

Agora que conhece os detalhes de como conseguir ativar a sua conta de Motorista, importará enterder quais as diferentes modalidades disponíveis para poder conduzir como Motorista TVDE.

Apresentamos de seguida os modelos disponíveis no mercado Português. Analise e escolha aquele que mais se adequa à sua situação e personalidade. 

Recordamos que se está iniciar, e se não tem a total certeza de que esta profissão é mesmo para si, pondere muito bem antes de fazer investimentos em veículos ou empresas: o mercado disponibiliza muitas opções para testar a profissão sem ter de correr riscos com investimentos, quando ainda não conhece o setor em profundidade.

Motorista à Comissão

O Motorista trabalha com o veículo do Operador. Os custos da manutenção veículo são da responsabilidade do Operador. O seu rendimento é uma percentagem da faturação que produz. Há muitas ofertas diferentes no mercado, mas de uma forma geral, no sitema de comissão, é pago ao Motorista entre 40 e 60% da faturação produzida, dependendo de qual das partes suporta o custo co combustível. Nesta modalidade, é usual haver um Coordenador que controla o trabalho dos Motoristas, pois quanto mais o Motorista faturar, mais o Operador vai ganhar.

  • a trabalhar por turnos

No sistema de turnos, cada motorista fica com o veículo durante um certo período do dia, para com ele trabalhar. Os turnos mais comuns são de 12h e 8h por dia. Existem turnos de outros horários, principalmente de fim-de-semana. São menos comuns e mais difíceis de gerir. Geralmente o motorista que trabalha por turnos não trabalga de forma autónoma, uma vez que há imposição de horários, de troca de turno e controlo sobre o trabalho desenvolvido pelo Motorista TVDE. De qualquer forma, o mais comum é o Motorista emitir recibos verdes pela sua remuneração.

  • com veículo a tempo completo

O Motorista fica com o veículo 24h/dia, 7 dias por semana, o que lhe dá liberdade de escolha dos horários mais rentáveis para trabalhar. O motorista trabalha de forma autónoma e tem de emitir recibo verde.

Motorista Autónomo com veículo em regime 'de aluguer'

O Motorista trabalha com o veículo do Operador. Os custos da manutenção veículo são da responsabilidade do Operador. O custo do combustível/energia, é da responsabilidade do Motorista. Este fica com o veículo 24h, 7 dias por semana. Nesta modalidade de trabalho, o motorista gere o seu trabalho de forma completamente autónoma. Quanto à remuneração, esta assenta numa lógica mais liberal, em que o Motorista recebe em função do seu trabalho, normalmente não pagando nenhuma comissão ao Operador, como acontece na RAU drive. Por contraponto, é descontado ao motorista um valor semanal fixo pela utilização do veículo. Nesta modalidade, após pagos os custos da utilização do veículo e do combustível, toda a faturação produzida para além destes custos, fica para o motorista. Esta modalidade potência maiores ganhos, mas só é adequada a quem planeia dedicar-se ao TVDE como profissão única e tem capacidade de organização e autodisciplina. Geralmente, o motorista trabalha como um prestador de serviços e tem de emitir recibo verde por conta dos rendimentos que aufere.

Motorista Autónomo, conduzindo o seu próprio veículo

O Motorista trabalha com o seu veículo. Os custos da manutenção veículo, do seguro automóvel TVDE e do combustível/energia são da responsabilidade do Motorista. Neste modelo, o Motorista, para conduzir o seu veículo próprio, tem de se associar, a ele e ao veículo a um Operador TVDE. Este, lista o veículo do Motorista num Slot seu, ficando assim, o veículo listado na frota do Operador. Como referimos atrás, uma vez que é o Operador quem explora o veículo, tem de ser celebrado um contrato de comodato entre as partes. Tal como nas outras situações, o Operador fica responsável pelo serviço de transporte e pela respetiva faturação ao passageiro. Adicionalmente, cabe ao Operador assegurar-se que o veículo do motorista e seu seguro automóvel, cumprem com a legislação para a operação em TVDE. A remuneração do Motorista depende de ele próprio, o Operador cobra somente um pequeno valor semanal, que pode ter uma componente fixa e outra variável. Na RAU drive, o total do valor semanal varia entre os 35 e os 65€. O motorista trabalha de forma autónoma, sendo prestador de serviços do operador e tem de emitir recibos verdes pelo seu valor do rendimento.

Motorista que trabalha para a sua propria empresa TVDE

Uma forma muito comum de conduzir TVDE é quela em que o Motorista cria a sua própria empresa Operadora, adquire um veículo e conduz para si próprio. Desta forma, o motorista, através da empresa, fica com a totalidade do rendimento, mas, por outro lado, também fica com a totalidade das despesas e do risco da operação. Adicionalmente, tem de desempenhar o trabalho da gestão da empresa e manter a atenção necessária à manutenção dos documentos sempre ativos nas plataformas.

Motorista com salário regular, funcionário da empresa

Esta é a modalidade menos comum. O Motorista é um trabalhador da empresa, recebe um salário, com férias, subsídio de féria e de Natal, e deverá trabalhar as 40h semanais legais. Devido à dificuldade do controlo da atividade e empenho do motorista no trabalho, esta modalidade é muito pouco utilizada.

bottom of page